sábado, 22 de novembro de 2008

"VESTÍGIOS NATALINOS"

Já estava mais do que na hora de eu atualizar isso aqui. Mas,
ultimamente, ando sem criatividade alguma. Isso dificulta um pouco
as coisas. "Sácomé né".

Final de ano vem chegando. Faculdade vai apertando. Começam a
surgir os primeiros vestígios do natal. Casas já enfeitadas. O pessoal
já começa o tal "amigo oculto" no trabalho, na faculdade...

É uma coisa que me intriga muito. Como você participa de uma
brincadeira com o nome de "AMIGO oculto" onde ninguém é amigo de
ninguém? Que merda é essa? Você vai na frente de todo mundo e
começa: "O meu amigo oculto...". Falso! Fica o ano inteiro falando mal
daquela pessoa. Daí chega o final do ano. Você tira aquele puto no
"amigo oculto" e fica chamando o cara de amigo até o dia
da troca dos presentes.

Mas se você se nega a participar da brincadeira acaba ficando como
o "chato" da turma. Porém, sincero. É um dilema infernal. Afinal, o que
compensa mais?
Ser um "amigo oculto" ou um "inimigo assumido"?



terça-feira, 11 de novembro de 2008

EXPIRAÇÃO SÚBITA

Tô meio mal esses dias. Uma tosse infernal que tá me matando. E ao
invés de melhorar só piora. Mal consigo dormir. Isso já tá me irritando.
Noite passada mesmo eu fiquei acordado tossindo até umas três da manhã.
Por fim me enchi. Misturei uns xaropes e tomei. Com uns dez minutos eu
apaguei. Quase perco a hora hoje (sorte que minha mãe tem o hábito de
"checar" se tô vivo).

Acordei meio bambo. Me arrumei (foda-se a norma culta) e fui pra
faculdade.
Ainda meio sonolento ( o que não é novidade). Incomodei uma
galera na
biblioteca de tanto tossir. E olha que nunca vou lá. Mas como tô
com essa
tosse infernal que me incomoda de uma maneira "única”...

Depois de destruir minha garganta de tanto tossir na faculdade, fui pra casa.
Já tinha perdido tudo quanto era ônibus. Cheguei tarde. Almocei correndo.

Fui pro trabalho e... Adivinha?! Caiu um puta chuvão! Molhei um pouco, mas
cheguei ao trabalho. Ah sim! Claro! Também me esgoelei de tossir lá!

Pelo menos dessa vez não fui ao médico. É muito revoltante chegar lá, falar
o que tá sentindo e ver aquele puto, sem despregar o cú da cadeira, dizer
com
toda certeza do mundo: "É só uma virose!". Qual é? O cara é o que?
Médico ou
o Professor Xavier?

Ainda bem que não preciso digitar um "cof cof cof!.. cooof! arrrgh! cof!"
cada vez que tusso enquanto digito o post. Do contrário essa merda ia
ficar maior
ainda. Já basta cuspir todo o monitor né!

Obs: Lembrei de um fato traumatizante que me ocorreu aos
cinco ou seis anos. Em uma dessas "viroses". Fica pra próxima!