sábado, 27 de março de 2010

DEFENESTRANDO ISABELLA

A justiça tarda mais não falha. No Brasil é assim. Pelo
menos quanto ao "tarda" temos certeza, já o "não falha"
é meio duvidoso ainda.

Depois de dois anos finalmente o caso da menina Isabella
teve seu desfecho. O casal Nardoni foi condenado pelo
júri por 7 votos a 0. Isso mesmo. Goleada. Escrevo pra não
restar dúvidas: Sete a zero. Três do Robinho, dois do
Neymar, um do André e outro do Mádson.

O desfecho já era esperado... Muito esperado. Afinal, dois
anos é muito tempo. Claro que, se comparado aos 31 que
o pai da menina pegou, ou aos 26 da madrasta, 2 anos não
é tanta coisa assim.

Dizem que o pai da menina ainda se equivocou no
depoimento: "Perdi o que tinha de mais valioso na minha vida."
Teria dito ele sobre a filha. Mas não perdeu não. Ele,
literalmente, jogou pela janela.

Pelo menos na cadeia, os presos podem ficar mais tranqüilos.
Pela primeira vez eles devem estar felizes por terem grades
nas janelas. Afinal, com um companheiro de cela desses tem
que ficar sempre esperto. Se bem que eu ainda acho que quem
vai precisar ficar esperto é o Nardoni. Na cadeia ele pode
acabar perdendo outra coisa valiosa.